twitter
    Find out what I'm doing, Follow Me :)

Queijo petisco dos deuses

Existe um conselho que já virou regra para quem está sempre de olho na balança: se for para comer queijo, que seja do tipo magro, branco ou então com taxas mínimas de gordura. A ricota, o cottage e o minas light têm passe livre. Já os que são ricos em gordura, os chamados queijos amarelos, devem ser consumidos com parcimônia. Melhor dizendo, sem neura.
Coma queijos gordos junto com frutas secas. Além de saboroso, é também mais saudável
Nunca é demais lembrar sobre os benefícios que esse derivado do leite faz pela sua saúde: a proteína ajuda no ganho de massa, o cálcio protege os ossos e o CLA (ácido linoléico conjugado) inibe a formação de gordura e estimula sua absorção como fonte de energia. E o queijo gordo? E o colesterol? Veja só isto: cientistas dinamarqueses descobriram numa pesquisa que homens que consumiram o equivalente a 300 gramas de queijo gordo num mesmo dia, fracionados em 10 porções iguais, não tiveram aumento no LDL, o colesterol ruim.
Calma lá, isso não quer dizer que liberou geral. "Existem pacientes com dieta controlada que mesmo assim têm taxas de colesterol altas; já outros, que comem de tudo, as taxas são normais. A genética pode ser um fator preponderante nesse caso
O importante, sempre, é o equilíbrio. Permitir-se comer com moderação é mais importante do que decisões xiitas do tipo: queijo gordo nunca mais! Existem táticas para aplacar aquela vontade que às vezes bate de devorar um pedaço inteiro de gruyère. A dica é "Coma queijo junto com damasco, ameixa seca ou castanha-do-pará, que são alimentos ricos em gorduras saudáveis e que saciam a vontade de querer devorar um pedaço inteiro". Na hora de montar um sanduba, use da mesma estratégia. Coloque uma fatia de queijo estepe, que é mais gordo e saboroso, e abuse da ricota.

O CREMOSOMelba: se ao chegar no supermercado o seu carrinho já faz o trajeto no piloto automático até a prateleira de requeijão, aprenda este outro caminho: o da prateleira dos queijos melba. Eles são muito mais cremosos e vão, sem dúvida, impressionar: muitos já vêm temperados com cebolinha, tomate seco, amêndoa e damasco. E vão muito bem com torrada.
NA SALADA
Chèvre: para fugir do tomate seco, da rúcula e da mussarela de búfala, dê um upgrade comprando um vidrinho de queijo chèvre, que é elaborado com leite de cabra. Para uma salada simples e deliciosa, misture o chèvre, uma bandejinha de morangos e outra de tomates-cereja. Junte tudo e tempere com sal e pimenta-do-reino moída. Numa panela, leve ao fogo 3 medidas de vinagre balsâmico para 1 de mel e deixe reduzir, formando um xarope. Jogue a mistura por cima. E aguarde os elogios.
PARA QUALQUER HORA
Gruyère: sabe aquela comunidade do Orkut "Eu abro a geladeira pra pensar"? Assim, sem motivo, só pra ver o que rola lá dentro? Isso pode acometer tanto os glutões como quem está a fim de comer algo e não sabe o quê. O gruyère é um tipo de queijo que vai bem numa hora dessas, seja como petisco ou num sanduba. O queijo estepe também pode servir como um bom... substituto.
COM CERVEJA
Emmental: é um queijo adocicado e leve, muito comum no preparo de fondues. Mas num final de campeonato, em frente à TV e com uma cervejinha do lado, vira um petisco imbatível. Uma dica importante na hora de comprar é que ele tenha buracos bem redondos, as chamadas olhaduras. Se elas forem perfeitas e uniformes, é sinal de que o queijo é bom.
COM VINHO
Gouda curado holandês: aquela máxima de que queijos e vinhos formam um casamento perfeito deve ser vista com desconfiança. O queijo tem alto teor de gordura, sal e elevada acidez, o que pode bagunçar tudo se for harmonizado com o vinho errado. Um gouda curado, de sabor acentuado e com cristais de sal, combina bem com vinhos mais potentes, como um malbec ou cabernet sauvignon.
O VERSÁTIL
Brie: nove entre dez tábuas de queijo levam o dito-cujo. Nãoé para menos: além de cremoso, de sabor adocicado e levemente defumado, ele também tem uma ótima relação custo/ benefício. Mas fique atento para esta dica de Geraldo Lima: na hora de comprar um pedaço, certifique-se de que ele esteja estufadinho como na foto, com o recheio ultrapassando um pouco a casca. Do contrário, ele pode não ter sido curado o suficiente, o que resulta num sabor amargo.
DE SOBREMESA
Crem'Azur: o gorgonzola, da família dos queijos de mofo azul, é tiro-e-queda na hora de impressionar. De fato, ele é uma delícia. Se quiser uma variação mais sofisticada, procure um Saint Agur ou, se a grana for curta, o Crem'Azur, da Polenghi, de consistência mais cremosa e sabor bem acentuado. Vai muito bem com uva tipo moscatel, damascos secos ou numa baguete.

www.abril.com.br

0 comentários:

Postar um comentário